DICAS

Quero aprender a cozinhar!

Bem vindo(a) ao nosso blog.

Durante estes 10 anos de trabalho nas redes sociais com o www.aquinacozinha.com, tenho me relacionado com pessoas de todas as regiões do Brasil e de alguns outros países. E, um grande percentual delas, me segue nas redes sociais porque querem aprender a cozinhar, ou apenas sabem o básico da culinária para o dia a dia e, outros porque querem se aperfeiçoar.

Qualquer pessoa pode aprender a cozinhar?

Com certeza esta é uma questão que passa pela cabeça de muitas pessoas, principalmente daquelas que saíram da casa dos pais recentemente, ou que vão casar, ou que estão enfrentando os desafios de morar só e mães ou pais que têm a responsabilidade de preparar a comida para sua família, mas já perceberam que não têm tanta habilidade assim no quesito cozinhar.

Estas pessoas veem seus amigos e familiares preparando diversos pratos na cozinha e acreditam que eles são verdadeiros chefs, porém não conseguem visualizar, que cozinhar é um processo, que assim como tudo na vida, necessita de um período de aprendizado e prática, para que, dessa maneira, seja possível chegar ao aprimoramento e à preparação ideal.

Sendo assim, já podemos responder, logo no início, à pergunta acima, dizendo que sim, qualquer pessoa pode aprender a cozinhar. Basta que tenha disposição, perseverança e força de vontade, para que assim você supere este desafio e comece a preparar você mesmo os pratos que mais gosta. Aprender a cozinhar é como aprender a ler e escrever, por exemplo, tem que investir tempo e disposição.

Vou enumerar as sete principais razões para você aprender a cozinhar. Outros motivos vou deixar para comentar em outro post.

Foto: Patty Martins

Motivos para você aprender a cozinhar:

1. Economia de dinheiro:

A principal vantagem em fazer a própria comida tem a ver com o dinheiro – já que, ao preparar a refeição em casa, você gasta muito menos do que gastaria em um restaurante ou delivery, por exemplo. Quando comecei o Aquinacozinha.com, uma de minhas seguidoras, do Rio de Janeiro, entrou em contato comigo e fez uma afirmação que achei estranha no início: “Patty, seguindo seu blog e fazendo as receitas, conseguimos, eu e meu marido, comprar um apartamento”. Pensei: “Ela deve está fazendo comida para vender”. Mas não! Continuando, ela me disse que ela e seu marido não sabiam cozinhar quase nada e, por conta disso, compravam comida pronta ou saiam muitas vezes por semana para comer fora. Desta forma, preparando a sua própria comida, eles estavam economizando dinheiro para pagar o financiamento do apartamento. Incrível, não?

2. Independência e autonomia:

Esta semana, recebi o seguinte comentário no meu YouTube do Marcos Dú Corte (Natal-RN), do canal “Barbearia Ebenézer” que, ao fazer a receita “Como Fazer Carne Moída Soltinha“, fez o seguinte depoimento: “Eu fiz hoje pela primeira vez, estou aprendendo cozinhar depois de 38 anos, mais foi a melhor coisa que eu fiz, coisa boa é nós sermos independentes sem esperar por ninguém para fazer nada, sou de Natal RN, vou assistir outros vídeos seus, parabéns amadinha pelo canal“. E ainda teve o comentário de um outro rapaz, o Henrique: “Tenho a mesma linha de pensamento, eu com 26 anos“. Estes são apenas um dos centenas de comentários que recebo nas minhas redes sociais e pessoalmente.

Preparando você mesmo suas refeições ou um jantar para amigos, colegas de trabalho ou mesmo seu amado/sua amada, passa uma mensagem implícita de que você é pessoa autônoma, que não precisa depender de ninguém para fazer uma comida de qualidade. Na maioria dos casais, a autonomia e a independência são qualidades atraentes, pois pode ser constrangedor namorar alguém mais velho que ainda more com os pais.

Imagine a seguinte situação: depois de passar horas na correria você chegou em casa cheio de fome, abriu a geladeira pensando em encontrar a carne assada do almoço e… Nada! Só ingredientes esperando para serem preparados mesmo, algo que você não sabe fazer. E não tem nem como pedir ajuda a outra pessoa, porque, pelo horário, não tem ninguém em casa ou todo mundo já está deitado. Uma situação assim dispensa comentários – mas fica a dica: ao saber cozinhar a própria comida, você não vai precisar passar por isso e dormir com fome.

3. É mais saudável:

Culinária e boa saúde andam de mãos dadas: uma dieta saudável ajuda a ter uma melhor forma física e mental. Comer em restaurante todos os dias normalmente sai caro e muitas vezes não é uma opção muito saudável.

Ao passar a conhecer os ingredientes que usa para preparar a sua comida e pesquisar receitas, automaticamente, vai começar a saber sobre os benefícios e malefícios de cada um. Por isso, ao aprender a cozinhar, é muito provável que seus hábitos alimentares também mudem e você passe a apostar em opções mais saudáveis e nutritivas. Não que dar uma escapadinha de vez em quando seja ruim, porque o problema é o exagero, mas ela vai se tornar a exceção, e não a regra.

Outro lado positivo de fazer a própria comida em casa é saber de onde vêm os alimentos que você está comendo – ou seja, se foram comprados realmente frescos, se estão na validade, se foram preparados em uma cozinha limpinha e por aí vai. Em restaurantes, por mais famosos que sejam, é difícil ter essas certezas que só quem faz a própria refeição tem.

A chefe de cozinha Rita Lobo, conhecida por suas receitas voltadas para o bem-estar, falou, em um programa de TV, sobre a importância de uma alimentação saudável e os malefícios dos fast-foods e das comidas ultra processadas: “É preciso ir para o fogão na hora de buscar mais qualidade nas refeições. Para você conseguir ter uma vida plena e saudável, você precisa aprender a cozinhar”. E também criticou: “Existe uma indústria que aproveita todas as causas, que aproveita todos os modismos e tenta vender que existe carne que não é de carne, maionese que não é de maionese, água que é refrigerante e assim por diante”.

4. Cozinhar para cuidar das pessoas que você ama e dependem de você:

Em muitas culturas, em muitos países, o alimento é realmente uma expressão de amor, e é muito bonito porque é algo com que realmente todos nos relacionamos”, conta Julie Ohana, assistente social, médica licenciada e terapeuta de arte culinária.

Quanto mais você cozinhar sua comida com sentimentos pessoais – com amor por seu convidado -, mais seu carinho para com o outro será sentido na hora da degustação!

Muitas pessoas, mães, pais, avós e cuidadores, têm a responsabilidade direta em produzir a alimentação diária do marido, esposa, filhos, idosos, circunstâncias especiais (doenças, restrições, dieta, diabéticos etc). Se você ou a pessoa para quem você cozinhar for intolerante ao glúten, por exemplo, será inadequado cozinhar um prato contendo trigo, não é mesmo?

5 . Socialização:

Preparar jantares e pratos para ocasiões especiais e festas, fortalecendo o vínculo social na família, amigos, colegas de trabalho e parentes. Que tal organizar uma noite com os amigos em sua casa e preparar um prato fácil, rápido e delicioso?

O fim do mês chegou, quase todo o seu grupo de amigos está sem dinheiro, mas vocês querem muito marcar um encontro para rirem juntos e colocar o papo em dia? É só chamar todo mundo para sua casa e preparar uma comidinha gostosa com o que tem na geladeira! Assim vocês podem se divertir sem gastar demais. Inclusive, se mais alguém do grupo souber cozinhar dá até para dar uma revezada na função para ninguém ficar sobrecarregado.

6 . Preparar a marmita para o trabalho:

O vale refeição acabou e você não quer gastar muito dinheiro com comida? É só preparar a sua em casa e levar uma marmita para o trabalho! Acredite: fazer compras no mercado é muito mais em conta que comer no restaurante. Por isso, pode ter certeza que o seu bolso agradece!

7 . Preparar um jantar todo especial para seu amado/sua amada:

Não é conquistar pelo estômago, mas quem não gosta de agradar o namorado ou namorada com um prato todo especial? Se a refeição vier acompanhada de um jantar todo romântico, então, melhor ainda!

Em uma recente matéria que li, 67% dos entrevistados de uma pesquisa consideraram a culinária como uma arma de sedução: “A gastronomia passa uma imagem positiva de si mesmo, permite que você se exiba um pouco, mostre um dom, um talento na sociedade e também uma forma de cultura”, apontou o sociólogo francês Ronan Chastellier.

Convidar o ser amado para jantar, preparando você mesmo todos os pratos, passa uma mensagem implícita de que você é pessoa autônoma, que não precisa depender de ninguém para fazer uma comida de qualidade. Degustar uma refeição é um momento de intimidade. Ao acompanhar o processo de preparação da comida na frente do fogão, vendo que tudo foi preparado com amor e paixão pelo anfitrião, o prato ficará ainda melhor!

Espero que tenha estimulado você a tomar a iniciativa de “arregaçar as mangas” e, definitivamente, aprender a cozinhar.

Beijos,

Patty Martins

2 Comentários

  • Raimundo Barreto

    Patty,

    Quero parabenizá-la por mais este Blog com o maravilhoso o conteúdo que está disponibilizando para as pessoas que têm esta necessidade básica: cozinhar.

    Ajudar pessoas a aprender a cozinhar é um dom e serviço muito útil, principalmente nestes dias “modernos”. Temos de priorizar nossa saúde e a de quem amamos, e a educação na questão da culinária deve ser interesse de todos e todas as famílias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bate-papo aberto
Precisa de Ajuda?
Quero aprender a cozinhar!
Powered by